EMPREGO DOS PRONOMES DEMONSTRATIVOS

pronomes-demonstrativos-definicao-classificacoes-e-exemplos

           Os pronomes demonstrativos isto (este, esta, estes, estas), isso (esse, essa, esses, essas) e aquilo (aquele, aquela, aqueles, aquelas) certamente estão entre os pronomes da Língua Portuguesa que apresentam maior diversidade de emprego, além da inquestionável importância na manutenção da coesão de um texto. Procederemos a uma abordagem morfossintática e semântica de acordo com alguns aspectos.

QUANTO À POSIÇÃO

        Em geral, os demonstrativos adjetivos antepõem-se ao substantivo:

ESTES documentos estão sob a minha guarda.

Deixe ESSAS flores que estão em tuas mãos aí no vaso.

Quando cruzo AQUELE terreno, costumo virar à direita.

 

 QUANTO À LOCALIZAÇÃO

 Os demonstrativos estabelecem uma relação entre as pessoas do discurso e a localização de algum ser ou objeto. Os pronomes de primeira pessoaESTE, ESTES, ESTA, ESTAS, ISTO – indicam proximidade relativa à pessoa que fala.

 ESTE livro que trago comigo é um romance de Graciliano ramos.

ISTO que eu tenho nas mãos é uma chave.

ESTA menina que está aqui ao meu lado se chama Helena.

 

Os demonstrativos de segunda pessoa – ESSE, ESSES, ESSA, ESSAS, ISSO – denotam proximidade relativa à pessoa com quem se fala.

 ESSE livro que tens na mão já está esgotado.

ESSA camisa que agora você veste foi presente dela?

ISSO que você tem na mão é um convite?

 

Os pronomes de terceira pessoa – AQUELE, AQUELES, AQUELA, AQUELAS, AQUILO – indicam afastamento relativo aos  interlocutores:

AQUILO são rugas de preocupação.

Por favor, guarde AQUELAS flores.

Foi NAQUELE lugar que nasci.

Obs.: Nesses casos , tudo o que se menciona encontra-se afastado do emissor e do receptor.

QUANTO À TEMPORALIZAÇÃO

 Os demonstrativos de PRIMEIRA PESSOA indicam o tempo presente relativo ao emissor:

ESTA noite tem um significado especial.

Estamos aqui, NESTE momento, tentando remediar a situação.

Os demonstrativos de SEGUNDA PESSOA indicam tempo futuro ou passado próximo do emissor:

ESSES anos todos têm sido muito difíceis.

Espero que ESSA noite que juntos passaremos seja muito especial.

Os de TERCEIRA PESSOA denotam um distanciamento maior do emissor em relação ao tempo, vago remoto:

AQUELES anos todos tinham sido muito difíceis.

Estávamos, NAQUELE momento, tentando remediar a situação.

QUANTO AOS TERMOS PRECEDENTES

Para aludir a termos precedentes, em geral emprega ESTE ( e variações) para retomar o que foi mencionado por último e AQUELE (e variações para o referido em primeiro lugar:

Conheci Bruna e Paula: ESTA é mais tranquila, ao passo que AQUELA é mais ansiosa.

Para chamar a atenção sobre o que se acabou de dizer emprega-se, preferencialmente, ISSO (e variações), embora também se use ISTO (e variações):

Estava na cozinha preparando o seu conhecido bobó de camarão. NISSO ao menos, ele era perfeito.

 

QUANTO AOS TERMOS SEGUINTES

Enquanto é preferível o uso de ISSO (e variações) para referência ao que já foi mencionado, emprega-se ISTO (e variações) para aludir ao que ainda será dito (ou escrito):

– Estou grávida.

E foi ISSO tudo o que ela disse:

Foi então que ela me disse ISTO:

– Estou grávida.

 

QUANTO AO EMPREGO DE PALAVRAS ENFATIZADORAS

Pode-se reforçar o sentido de um demonstrativo quando se empregam advérbios ( cá aqui, aí, lá, acolá), ou outros demonstrativos mesmo e próprio:

 ESSA AÍ sabe muito a seu respeito.

ESTE AQUI já tem dono.

Comeremos AQUELES MESMOS de ontem.

Anúncios