RELAÇÕES ESTABELECIDAS PELAS PREPOSIÇÕES

VALOR DAS VÁRIAS RELAÇÕES ESTABELECIDAS PELAS PREPOSIÇÕES

 PREPOSIÇÃO

A

1.CAUSA OU MOTIVO:  acordar aos gritos das crianças

2.CONFORMIDADE: escrever ao modo clássico

3.DESTINO ( em correlação com a preposição de): DE Santos à Bahia.

4.MEIO– Voltarei a andara cavalo.

5.PREÇO: Vendemos o filhote de nosso cachorro R$ 300,00.

6.DIREÇÃO: levantar as mãos aos céus.

7.Distância: cair poucos metros da namorada.

8.EXPOSIÇÃO: ficar ao sol por um longo tempo.

9.LUGAR: Ir Santa Catarina.

10.MODO: falar aos gritos.

11.SUCESSÃO: dia dia.

12.TEMPO: Nasci três de maio.

13.PROXIMIDADE: estar  à janela.

 APÓS 

1.LUGAR: Permaneça na fila após a décimo lugar.

2.TEMPO: Logo após o almoço descansamos.

 COM

1.CAUSA: ficar pobre com a inflação.

2.COMPANHIA: ir ao cinema com cos amigos.

3.CONCESSÃO:  ainda tem planos para o futuro com mais de 80 anos.

4.INSTRUMENTO: abrir a porta com a chave.

5.MATÉRIA: vinho se faz com uva.

6.MODO: andar com elegância.

7.REFERÊNCIA: com sua irmã aconteceu diferente; comigo sempre é assim.

 CONTRA

1.OPOSIÇÃO: jogar contra a seleção brasileira.

2.DIREÇÃO: olhar contra o sol.

3.PROXIMIDADE OU CONTIGUIDADE: apertou o filho contra o peito.

 DE

1.CAUSA:  chorar de saudade.

2.ASSUNTO: falar de religião.

3.MATÉRIA :  material feito de plástico.

4.CONTEÚDO : maço de cigarro.

5.ORIGEM: você descende de família humilde.

6.POSSE:  este é o carro de João.

Observação: Em Português, a relação de posse é uma função adjetiva específica da preposição [de].

7.AUTORIA:  esta música é de Chopin.

8.TEMPO: ela dorme de dia.

9.LUGAR: veio de São Paulo.

10.DEFINIÇÃO: pessoa de coragem.

11.DIMENSÃO: sala de vinte metros quadrados.

12.FIM OU FINALIDADE: carro de passeio.

13.INSTRUMENTO: apanhar de chicote.

14.MEIO: viver de ilusões.

15.MEDIDA OU EXTENSÃO: régua de 30 cm.

16.MODO: olhar alguém de frente.

17.PREÇO: caderno de 10 reais.

18.QUALIDADE: vender artigo de primeira.

19.SEMELHANÇA OU COMPARAÇÃO: atitudes de imbecil.

 DESDE

1.DESDE: dormiu desde o acampamento até aqui.

2.TEMPO: desde ontem ele não aparece.

 EM

1.PREÇO: avaliou a propriedade em milhares de dólares.

2.MEIO: pagou a dívida em cheque.

3.LIMITAÇÃO: aquele aluno em Química nunca foi bom.

4.FORMA OU SEMELHANÇA: as crianças juntaram as mãos em concha.

5.TRANSFORMAÇÃO OU ALTERAÇÃO: transformou dólares em reais.

6.ESTADO OU QUALIDADE: foto em branco e preto

7.FIM: pedir em casamento.

8.LUGAR: ficou muito tempo em Sorocaba.

9.MODO: escrever em francês.

10.SUCESSÃO:  de grão em grão

11.TEMPO: o fogo destruiu o edifício em minutos.

12.ESPECIALIDADE: João formou-se em Medicina.

 ENTRE   

1.LUGAR: ele ficou entre os aprovados.

2.MEIO SOCIAL: entre as elites, este é o comportamento.

3.RECIPROCIDADE: entre mim e ele sempre houve discórdia.

 PARA 

1.CONSEQUÊNCIA: você deve ser muito esperto para não cair em armadilhas.

2.FIM OU FINALIDADE: chegou cedo para a conferência.

3.LUGAR: Em 2011, ele foi para Portugal.

OBSERVAÇÃO: o uso do para associado ao verbo ir dá ideia de estada permanente, ao contrário da preposição a, que exprime breve regresso; de fato vamos para o céu e não ao céu, porque não há regresso.

4.PROPORÇÃO: as baleias estão para os peixes assim como nós estamos para as galinhas

5.REFERÊNCIA: para mim, ela está mentindo.

6.TEMPO: para o ano irei à praia.

7.DESTINO OU DIREÇÃO: olhe para frente!

 PERANTE 

1.LUGAR:  ele negou o crime perante o júri.

 POR 

1.MODO OU CONFORMIDADE: vamos escolher por sorteio.

2.CAUSA: encontrar alguém por coincidência.

3.CONFORMIDADE: copiar por original.

4.FAVOR: lutar por seus ideais.

5.MEDIDA: vendia banana por quilo.

6.MEIO: ir por terra.

7.MODO: saber por alto o que ocorreu.

8.PREÇO: comprar um livro por  vinte reais.

9.QUANTIDADE: chocar por três vezes.

10.SUBSTITUIÇÃO: comprar gato por lebre.

11.TEMPO: viver por muitos anos.

 SEM

1.AUSÊNCIA OU DESACOMPANHAMENTO: estava sem dinheiro.

 SOB 

1.TEMPO: houve muito progresso no Brasil sob D. Pedro II.

2.LUGAR: ficar sob o viaduto.

3.MODO: saiu da reunião sob pretexto não convincente.

 SOBRE

1.ASSUNTO: Não gosto de falar sobre política.

2.DIREÇÃO: ir sobre o adversário.

3.LUGAR: cair sobre o inimigo.

Bibliografia:

SACCONI, Luiz Antônio – Nossa Gramática: Teoria e Prática.

 

 


Anúncios

DOÇURA DOLOROSA

mar

ODE MARÍTIMA

Sozinho, no cais deserto, a esta manhã de Verão,
Olho pró lado da barra, olho pró Indefinido,
Olho e contenta-me ver,
Pequeno, negro e claro, um paquete entrando.
Vem muito longe, nítido, clássico à sua maneira.
Deixa no ar distante atrás de si a orla vã do seu fumo.
Vem entrando, e a manhã entra com ele, e no rio,
Aqui, acolá, acorda a vida marítima,
Erguem-se velas, avançam rebocadores,
Surgem barcos pequenos detrás dos navios que estão no porto.
Há uma vaga brisa.
Mas a minh’alma está com o que vejo menos.
Com o paquete que entra,
Porque ele está com a Distância, com a Manhã,
Com o sentido marítimo desta Hora,
Com a doçura dolorosa que sobe em mim como uma náusea,
Como um começar a enjoar, mas no espírito.

Olho de longe o paquete, com uma grande independência de alma,
E dentro de mim um volante começa a girar, lentamente.

Os paquetes que entram de manhã na barra
Trazem aos meus olhos consigo
O mistério alegre e triste de quem chega e parte.
Trazem memórias de cais afastados e doutros momentos
Doutro modo da mesma humanidade noutros pontos.
Todo o atracar, todo o largar de navio,
É — sinto-o em mim como o meu sangue —
Inconscientemente simbólico, terrivelmente
Ameaçador de significações metafísicas
Que perturbam em mim quem eu fui…

Ah, todo o cais é uma saudade de pedra!
E quando o navio larga do cais
E se repara de repente que se abriu um espaço
Entre o cais e o navio,
Vem-me, não sei o porquê, uma angústia recente,
Uma névoa de sentimentos de tristeza
Que brilha ao sol das minhas angústias relvadas
Como a primeira janela onde a madrugada bate,
E me envolve com uma recordação duma outra pessoa
Que fosse misteriosamente minha.

(Fernando Pessoa)

CONCORDÂNCIA NOMINAL

NOMINAL

REGRA GERAL: O artigo, o adjetivo, o numeral e o pronome, concordam em gênero e número com o substantivo.

Aqueles dois alunos estudiosos leram o livro solicitado.

 ADJETIVO POSPOSTO

Quando o  adjetivo ( ou palavra com função de adjetivo) vier depois de dois ou mais substantivos, a concordância poderá ser feita de duas maneiras:

1. Substantivos de mesmo gênero: adjetivo vai para o plural ou concorda com o substantivo mais próximo.

Flores e cortina despedaçada jaziam a um canto.

Flores e cortina despedaçadas jaziam a um canto.

2 – Substantivos de gêneros diferentes: vai para o plural masculino ou concorda com o substantivo mais próximo.

“E os homens e as coisas todos silenciosos.” (Cecília Meireles)

“E os homens e as coisas todas silenciosas.” (Cecília Meireles)

ADJETIVO ANTEPOSTO

Quando o  adjetivo ( ou palavra com função de adjetivo) vier antes de dois ou mais substantivos, ele concordará como mais próximo.

Tiveste ideia e pensamento.

Tiveste mau pensamento e ideia.

ADJETIVO NA FUNÇÃO DE PREDICATIVO DO SUJEITO

1.Se o adjetivo estiver posposto aos substantivos, ele irá para o plural, prevalecendo o masculino se os substantivos tiverem gêneros diferentes:

A professora e o aluno mantiveram calados durante a prova.

2. Adjetivo anteposto aos substantivos funcionando como predicativo a concordância pode ser feita de duas maneiras:

A.prevalece o masculino plural se os substantivos tiverem gêneros diferentes:

Estavam calmos a mulher e o marido.

B. o adjetivo concorda com o substantivo mais próximo:

Estava calma a mulher e o marido.

3.Se o adjetivo anteposto referir-se a nomes próprios, o plural será obrigatório.

As simpáticas Flávia e Luciana são irmãs

 ADJETIVO NA FUNÇÃO DE PREDICATIVO DO OBJETO

1. Quando o núcleo do objeto for expresso por um único substantivo, o adjetivo concorda com ele em gênero e número:

Encontrou a filha cansada e abatida.

Encontrou o filho cansado e abatido.

2. Quando o objeto apresentar dois núcleos, ou mais, com substantivos do mesmo gênero, o adjetivo s flexiona no plural e no gênero desses substantivos:

Encontrou as alunas e as professoras cansadas e abatidas.

 3.Quando o objeto apresentar dois núcleos, ou mais, com substantivos de gênero diferentes, o adjetivo ficará no masculino plural:

Encontrou as meninas e os professores cansados e abatidos.

 4.Quando anteposto o objeto, o predicativo pode concordar com o mais próximo:

A comissão considerou culpada a secretária e o tesoureiro.

A comissão considerou culpado o tesoureiro e a secretária

UM SUBSTANTIVO E MAIS DE UM ADJETIVO

Quando dois ou mais adjetivos se referem a um substantivo, determinado por artigo, há duas possibilidades de concordância:

1.O substantivo fica no singular e coloca-se também o artigo precedendo o segundo adjetivo:

Emília estuda a língua alemã e a francesa.

2.O substantivo vai para o plural e omite-se o artigo diante do segundo adjetivo:

Emília estuda as línguas alemã e  francesa.

CASOS ESPECIAIS

Há palavras ou expressões que merecem destaque no que se refere à concordância nominal por provocarem, muitas vezes, algumas dúvidas.

 O ADJETIVO MESMO, PRÓPRIO, ANEXO, INCLUSO, QUITE, LESO, OBRIGADO

O adjetivo mesmo, próprio, anexo, incluso, quite, leso, obrigado concordam com o substantivo a que se referem em gênero e número:

Eles mesmos vieram pedir desculpas.

Ele próprio trocou o pneu do carro.

Seguem anexos os pedidos de hoje.

Envio-lhe inclusas as notas fiscais.

Os rapazes estão quites com o serviço militar.

Será a greve um crime de leso-patriotismo.

Muito obrigada! Disse-me ela.

 AS EXPRESSÕES É PROIBIDO, É NECESSÁRIO, É BOM, É PRECISO

As expressões é proibido, é necessário, é bom, é preciso etc. podem variar ou não:

 1.São invariáveis se o sujeito não estiver determinado por artigo (ou outro determinante):

Era proibido cigarros e charutos.

É necessário disposição para estudar.

Aspirina é bom para dor de cabeça.

É preciso calma para uma boa jogada

2.São variáveis, concordando com o sujeito em gênero e número, se o sujeito estiver determinado por artigo (ou outro determinante).

É proibida a saída de alunos durante a aula.

Muita paciência é necessária.

A bebida alcoólica é proibida para menores de 18 anos.

A aspirina é boa para dor de cabeça.

 AS PALAVRAS BASTANTE, MUITO, POUCO, CARO, BARATO, LONGE

1.As palavras bastante, muito, pouco, caro, barato, longe variam, quando empregadas como adjetivo:

“ Entre mim e mim, há vastidões bastantes.”(Cecília Meireles)

Muitas velas, muitos remos. Curta vida. Longo mar.” ( Cecília Meireles)

Poucos rapazes jogaram ontem.

Os sapatos eram caros.

A mercadoria é barata.

Andei longes caminhos e longes terras.

2.As palavras bastante, muito, pouco, caro, barato  não variam, quando empregadas como advérbio:

Eles falam bastante.

As alunas são muito inteligentes.

Elas gastaram pouco.

Aqueles sapatos custaram caro.

Aquelas mercadorias custaram barato.

Eles moram longe.

PALAVRAS; MENOS, ALERTA PSEUDO

1. As palavras menos, alerta, pseudo são invariáveis.

Preciso de menos comida para perder peso.

Os soldados estão alerta.

Há muitos pseudo gurus.

2.Alguns gramáticos consideram a flexão de número para a palavra alerta, considerando-o como adjetivo equivalente a atentos.

O sargento que os recrutas fiquem alertas.

 A EXPRESSÃO TAL QUAL

A expressão Tal Qual – “tal “concorda com o antecedente, “qual” concorda com o consequente:

As filhas são tais qual a mãe.

 O ADJETIVO POSSÍVEL

1.O adjetivo possível varia de acordo com o artigo que precede as palavras “mais”, “menos”, “melhor” ou “pior”, indicativas de grau superlativo:

As informações que lhes dava eram o menos inquietante possível.

Os melhores cargos possíveis estão neste setor da empresa.
As piores situações possíveis são encontradas nas favelas da cidade.

2.A expressão quanto possível, que aparece como complemento de comparação, é invariável.

Vocês devem ser tão pontuais quanto possível.

 A PALAVRA MEIO

1.A palavra meio como advérbio é invariável.

Ela anda meio aborrecida

2.A palavra meio como numeral varia.

Tomou meia taça de vinho.

A PALAVRA SÓ

1.A palavra só, quando é um adjetivo (equivalendo a sozinho), concorda com o nome a que se refere:

Eles preferiam ficar sós.

2.como advérbio (equivalendo somente ou apenas) é invariável.

Depois da batalha restaram cinzas.

3.Por si só, só é adjetivo, portanto  flexiona-se concordando com o nome a que se refere:

Os fatos falam por si sós.

 LOCUÇÕES A SÓS, EM ANEXO

 A sós e em anexo são invariáveis:

Eu estou a sós.

Eles ficaram a sós.

As fotografias seguem em anexo à documentação.

 ADJETIVOS EMPREGADOS COMO ADVÉRBIOS: CERTO,BAIXO, AMARELO, ALTO

Certo, baixo, bonito, amarelo, alto como advérbio não variam:

Helena quase não comete erros de ortografia, pois sempre escreve certo as palavras.

As meninas educadas falam baixo.

Durante a competição, nossas atletas fizeram bonito.

Dona Maria sorria amarelo.

Tinha o péssimo hábito de falar alto.

 MESMO COMO ADVÉRBIO

 A palavra mesmo é advérbio quando tiver o sentido de realmente, de fato e, portanto, é invariável:

Ele virá mesmo pedir desculpas.

 SUBSTANTIVO EMPREGADO COMO ADJETIVO

 Um substantivo empregado como adjetivo ( derivação imprópria) não varia:

Blusas vinho.

 PARTICÍPIOS

1.Os particípios concordam normalmente com o substantivo a que se referem:

Iniciados os trabalhos, todos saíram.

O material foi comprado pelo pedreiro.

2.Quando o particípio integra um tempo composto na voz ativa, permanece invariável:

Os professores tinham iniciado a aula.